top of page
  • Foto do escritorSAS Smart

Como físico e remoto se somam para ampliar o acesso à saúde

São cada vez mais evidentes as vantagens da telessaúde. Um dos benefícios mais importantes neste contexto é a ampliação do acesso à saúde, aliada à rapidez e à efetividade nos atendimentos de baixa e média complexidade. Em locais em que não há acesso algum, exigindo grandes deslocamentos, ter um profissional ao alcance de alguns cliques pode fazer a diferença entre a garantia de saúde e a piora do paciente, entre um diagnóstico precoce e tardio e consequentemente tratamentos menos ou mais efetivos.


Ainda que reconheçamos esse potencial, sabemos que a telemedicina, sozinha, pode não resolver toda a equação. A busca do equilíbrio entre procedimentos que exigem a presença do paciente e as consultas remotas é um dos grandes desafios neste novo cenário. Daí a importância do conjunto de soluções que a SAS Smart desenvolveu, testou e reuniu, oferecendo aos clientes, além do SIAS (nossa completa plataforma de saúde, preparada para atendimentos presenciais ou remotos, e prontuário alinhado à LGPD, de uso fácil e intuitivo), a infraestrutura física que permite ir além.


Nossas cabines de telemedicina e UTAs (Unidades de Telemedicina Avançada) permitem realizar exames e procedimentos presenciais de diversos tipos. Somada à atuação online de profissionais de saúde, essa infraestrutura pode ser o caminho para disseminar o acesso à saúde especializada.


Essas estruturas usam o conceito de saúde figital, onde a atuação é ao mesmo tempo física e digital, somadas, para trazer mais resolutividade para a assistência. Para fazer isso, usamos uma série de equipamentos de saúde digital que, muitas vezes, podem ser operados por enfermeiras ou por técnicos que estão na ponta física, junto ao paciente, e que trazem informações mais qualificadas para a equipe médica, que atua de forma remota.



"Um equipamento de retinografia digital gera imagens do fundo de olho que podem ser analisadas por um especialista à distância, ajudando a diagnosticar precocemente doenças e a evitar tratamentos cirúrgicos, além de permitir definir a prioridade dos casos cirúrgicos", exemplifica Adriana Mallet, CEO da SAS Smart

Referência

A SAS Smart é referência em uma série de outros exames. Um outro exemplo é a telecolposcopia, que realiza imagens do colo de útero, que são então analisadas, de forma assíncrona, pelo médico especialista à distância Isso permite que apenas as pacientes com imagens alteradas sejam de fato convocadas para um tratamento presencial.


Esses tipos de exames e procedimentos realizados de forma digital trazem mais resolutividade para as consultas de telemedicina, o que favorece a agilidade no tratamento e economia de recursos para o SUS, tanto pela possibilidade de diagnósticos precoces, quanto pela economia nos deslocamentos de pacientes.


Foto de capa: Tima Miroshnichenko/Pexels

5 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page